Training Tribù

Tribu-logo

Esta semana fizemos uma visita à marca Tribù. Ainda no rescaldo do 50º aniversário, a marca organizou um training intensivo sobre novos produtos – tendências, qualidade dos materiais usados e respectiva manutenção. Levamos connosco parte da equipa (Arq.ª Vanessa Freitas e Arq.ª Joana Oliveira) e assim viajamos até à Bélgica, onde ficamos a conhecer melhor esta magnífica empresa familiar que tão bem nos recebeu.

 

 

FullSizeRender[1]

Tiago Vilaça

Tivemos ainda a oportunidade de usufruir de uma palestra/formação muito interessante e interactiva, organizada pela Francq Colors, Trend Agency. Pelas palavras da fundadora, Hilde Francq, 85% dos consumidores elegem a cor como principal razão na escolha de um produto em particular. Avaliamos também as tendências de cor desde o presente ano de 2017 até ao ano de 2020. No que á decoração de interiores diz respeito, aprofundamos as 4 tendências que poderão vigorar nos próximos anos e ainda desenvolvemos um projecto “ao momento” para testar as nossas skills. Umas horas, portanto, muito bem passadas e, sem dúvida, muito estimulantes para futuros projectos a desenvolver.

 

FullSizeRender

Rui Vilaça, Hilde Francq, Arq.ª Joana Oliveira

Falando um pouco mais da Tribù, podemos nomear a marca como uma das melhores no mobiliário de exterior, seja em design ou em qualidade dos produtos. De uma organização fantástica, a marca dedica-se a uma infinidade de testes tecnológicos para, por exemplo, assegurar a durabilidade de todos os componentes às piores intempéries, bem como aos raios de Sol mais fortes. Apresentam ainda uma vasta gama de tratamento e limpeza para todo o mobiliário e tecidos. Vale mesmo a pena conhecer um pouco mais.

FullSizeRender[2] FullSizeRender[3]

Mas nem tudo foi trabalho, embora este, no nosso caso, quase sempre se misture com lazer. Entre a chuva e o frio lá aproveitámos para fazer uma pequena visita tardia a um dos mais emblemáticos restaurantes do centro de Bruxelas, fundado em 1921: Auxarmes.

Um local onde se respira história e onde a comida não engana. Por sorte, sentaram-nos na mesa mais procurada: a mesma onde se sentava sempre Jacques Brel – a mesa 225.

FullSizeRender[4]

Rui e Tiago Vilaça

Comentários